outubro 11, 2003

UMA ONDA DE PARVOÍCE, 2. A linguagem dos técnicos do Ministério da Educação é, na maior parte das vezes, incompreensível: esquece o seu destinatário, esquece os problemas. Se nos últimos anos do sistema de ensino em Portugal pudemos assistir a alguma experiências pedagógicas «interessantes» — ou seja, cativantes na sua «forma» — isso deve-se mais ao empenhamento de professores, isoladamente, do que às estruturas da própria instituição. Mas isso não retira nada ao clima de barbárie científica vivido no «secundário», em matérias como o ensino da língua e da literatura, bem como na escolha dos autores representativos da nossa literatura. Tem-se esquecido o estudo da nossa história, dos clássicos portugueses, da literatura. Em favor de quê? De uma preocupação (e isto não implica o menosprezo do ensino vocacionado para as «saídas profissionais», como se verá) pela actualidade, pela contemporaneidade, pelos «cortes temporais» que representam passos essenciais da história portuguesa através de esquemas simplificados e anedóticos (como se a história não fosse uma narrativa), e em nome de um desprezo curioso pela erudição, pela passagem do tempo e pelo «esforço de aprender» — tudo substituído por textos seleccionados pelos alunos de revistas de televisão ou, acrescento eu, para «análises» nas aulas. Passear pelas propostas de «análise textual» de alguns manuais escolares de Português poderá ser uma boa oportunidade para rir, caso não se trate de matéria séria demais. É tal a quantidade de asneiras, de leviandades apresentadas como «certezas científicas», de expressões defeituosas em termos gramaticais, de esquemas que de tão simplificadores deixam de se poder entender — que bem poderíamos manifestar mais compreensão pelos adolescentes que vagueiam pelos corredores das escolas secundárias.
Sendo verdade que a escola está mais aberta ao mundo exterior, que recebe mais visitas de escritores, de historiadores, de políticos, de gente viva, não se pode ignorar que a essa actividade não corresponde o esforço posterior (ou anterior) de aprofundar as matérias tratadas nesses encontros. Por um lado, a leviandade tomou conta de grande parte do ensino do Português e da História; por outro lado, o tratamento de «assuntos elevados» (presentes nos textos trabalhados em algumas aulas) não é acompanhado pela insistência em algumas coisas básicas: o valor a conferir ao conhecimento, à aprendizagem, à investigação, à leitura. A referência, omnipresente em todos os programas de ensino, à ideia de «problemática», esquece que só se pode «problematizar» aquilo que antes se estudou realmente. Há uns anos, um cavalheiro da APEL (uma agremiação de editores & livreiros), manifestou-se contra a existência de «livros pesados». Acredito. Depois de ver os que existem, ficamos entendidos. E tem razão, o senhor: quantos alunos leram, de facto, Os Maias (tirando o caso dos de uma professora de português de Mirandela que, conforme se noticiou na altura, «se tinha esquecido do Eça», e não o mencionou nas aulas)? Tão pesado, tanta maçada. E Cesário? E Vieira? Tão pesado. E para quê ler Os Maias, se há livros que o explicam «como deve ser», e com as munições da gerigonça universitária? E para quê interrogar-se sobre a própria ideia de «que literatura escolher», se os exemplos a colher vêm nos livrinhos divulgados em vulgata ou só em anos recentes? Para quê tomar a literatura portuguesa como corpus de serviço para o ensino do Português, se os mestres de linguística da antiga escola estrutural advogam o privilégio da «língua oral» sobre a matéria escrita?
Mas se estes são problemas concretos na área das humanidades, existe por detrás um monstro a permitir a sua existência: as vulgatas de Ciências da Educação — de que os alunos dos CIFOP conheciam a existência, as alíneas, os versículos, a demonologia, a metafísica e sobretudo o novo-riquismo. Por detrás das Ciências da Educação, e da pragmática erigida em teologia autoritária, transformadas em detentoras de todo o conhecimento sobre a actividade pedagógica e sobre a arte de ensinar, existe, claramente, um outro monstro: a tecnocracia, aplicadíssima, pesarosa e grave — aduladora do relativismo cultural e de tudo quanto retire humanidade às humanidades, inconsciente e irresponsável no seu anonimato de «comissão de serviço no Ministério» ou semelhantes postos. Mas quase sempre no anonimato, num universo sem rosto e muito satisfeita consigo própria.
Por todos estes motivos, o debate sobre os «curricula» e o sistema educativo não diz respeito apenas aos técnicos do Ministério da Educação. A prova está à vista neste manual que propõe aos alunos que estudem o regulamento do Big Brother e que ilustra Camões com Renoir (as autoras dizem que o contexto histórico-cultural não é importante).

4 Comments:

At 8:35 da manhã, Blogger ninest123 Ninest said...

ninest123 09.24
oakley sunglasses, tiffany jewelry, tory burch outlet, ray ban sunglasses, ray ban sunglasses, louboutin shoes, michael kors outlet, oakley sunglasses, burberry outlet online, michael kors outlet, replica watches, louis vuitton, louis vuitton outlet, uggs on sale, oakley sunglasses, longchamp outlet, michael kors outlet, burberry, polo ralph lauren outlet, replica watches, michael kors outlet, christian louboutin outlet, oakley sunglasses, nike air max, gucci outlet, louis vuitton, michael kors outlet, ugg boots, tiffany and co, cheap oakley sunglasses, longchamp, longchamp outlet, prada outlet, ray ban sunglasses, louboutin outlet, prada handbags, ugg boots, nike air max, ugg boots, polo ralph lauren outlet, louis vuitton, louis vuitton outlet, ugg boots, nike outlet, michael kors, jordan shoes, louboutin

 
At 8:39 da manhã, Blogger ninest123 Ninest said...

burberry, new balance pas cher, michael kors, coach outlet, sac longchamp, true religion jeans, mulberry, oakley pas cher, ralph lauren pas cher, louboutin pas cher, ralph lauren uk, nike free run uk, north face, true religion jeans, michael kors, ray ban pas cher, true religion jeans, sac guess, nike air max, air jordan pas cher, vans pas cher, nike air max, nike free, tn pas cher, coach factory outlet, air max, coach purses, nike roshe run, chanel handbags, coach outlet, hollister pas cher, converse pas cher, abercrombie and fitch, north face, true religion outlet, nike blazer, hogan, kate spade outlet, hermes, longchamp pas cher, lululemon, nike air max, timberland, nike free, hollister, michael kors, michael kors, kate spade handbags, air force, ray ban uk, lacoste pas cher

 
At 8:42 da manhã, Blogger ninest123 Ninest said...

instyler, nike air max, oakley, ferragamo shoes, herve leger, jimmy choo shoes, nike huarache, giuseppe zanotti, celine handbags, mcm handbags, hollister, north face outlet, ray ban, beats by dre, hollister, converse outlet, vans shoes, nike roshe, hollister, soccer shoes, lancel, ralph lauren, louboutin, insanity workout, valentino shoes, new balance, wedding dresses, mont blanc, abercrombie and fitch, asics running shoes, reebok shoes, chi flat iron, longchamp, nike air max, nike trainers, north face outlet, converse, p90x workout, soccer jerseys, vans, timberland boots, mac cosmetics, lululemon, ghd, baseball bats, nfl jerseys, birkin bag, nike roshe, gucci, babyliss, iphone 6 cases, bottega veneta, vanessa bruno

 
At 8:47 da manhã, Blogger ninest123 Ninest said...

pandora jewelry, marc jacobs, moncler outlet, coach outlet, canada goose, replica watches, bottes ugg, michael kors outlet online, canada goose, pandora charms, wedding dresses, ugg boots uk, doudoune canada goose, canada goose outlet, moncler, karen millen, louis vuitton, moncler, links of london, pandora jewelry, moncler, michael kors outlet, toms shoes, moncler, barbour, ugg pas cher, ugg,ugg australia,ugg italia, louis vuitton, supra shoes, swarovski crystal, juicy couture outlet, montre pas cher, thomas sabo, doke gabbana outlet, ugg,uggs,uggs canada, canada goose, louis vuitton, moncler, sac louis vuitton pas cher, canada goose outlet, swarovski, michael kors handbags, hollister, canada goose uk, juicy couture outlet, moncler, moncler, canada goose, louis vuitton, barbour jackets, pandora charms
ninest123 09.24

 

Enviar um comentário

<< Home