novembro 29, 2004

ELEIÇÕES. O Paulo Gorjão constrói um cenário para a não realização de eleições. A questão, no entanto, parece-me simples: erradamente, o presidente da República não convocou eleições antecipadas quando o deveria ter feito (continuo a dizer que isso beneficiou o PS). Provou-se que o governo de Santana Lopes não é o governo dos que votaram PSD e elegeram Durão Barroso (como, aliás, algumas almas escreveram logo). Neste momento, o governo não tem -- sem desculpas adicionais -- margem de manobra para falar de estabilidade; o «caso Henrique Chaves» não se enquadra no retrato de uma demissão pura e simples; pelo contrário, é o culminar de um processo de «desmoralização» e de perdas sucessivas de autoridade por parte do próprio governo.