fevereiro 24, 2005

Provavelmente, há coisas piores.

O biógrafo de Assis Chateaubriand (Chatô, o Rei do Brasil, Companhia das Letras -- um monumento sobre a história do Brasil) e de Olga Benário, o jornalista Fernando Morais está a preparar uma biografia do escritor Paulo Coelho. Muitos ainda vão surpreender-se com o rocker e com o autor de canções de Elis Regina.

12 Comments:

At 12:00 da tarde, Blogger Nuno said...

E com a sua fase Raúl Seixas… toda uma revelação cafona-o-cósmica!

 
At 3:22 da tarde, Blogger rititi said...

Olha uma caixinha de comentários!
(lo siento, he sido incapaz de resistirme...)
Besos ibéricos

 
At 10:15 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O Fernando Morais? O do abaixo assinado de apoio a Hugo Chavez?

 
At 12:03 da manhã, Blogger Miguel Cardina said...

Eh pá, esta diferente esta casa!...

 
At 10:05 da manhã, Blogger Sónia said...

Não percebo a loucura à volta dos romances de Paulo Coelho, mas talvez porque eu não sou "desse género": muito peace and love, muito verde, muito mistico, muito esotérico.
Enfim, ainda bem que não somos todos iguais, senão não haveria "Eças" suficientes para ler.

 
At 10:58 da manhã, Blogger Nuno Barata said...

Há coisas muito piores. .)

 
At 2:31 da tarde, Blogger booklover said...

Olha o Aviz passou a ter caixa de comentários!!! que bom...

 
At 6:04 da tarde, Blogger Carla said...

Sinceramente, não sei o que pode haver de interessante na biografia de Paulo Coelho. É um escritor que deve ser respeitado pelo volume e não pelo teor dos livros que comercializa.

 
At 7:53 da tarde, Blogger Ticcia said...

Francisco, acho que a relação conteúdo x vendas dos livros dele são a prova cabal de que ele é realmente um mago ou de que o suposto pacto com o diabo deu certo.

 
At 8:26 da tarde, Blogger ISA said...

Pois eu gostei muito do Alquimista e do Rio Piedra. Assumo.

Mas que está longe de ser o meu escritor de eleição, isso está. O Eça e o Hesse batem-no aos pontos.

 
At 8:01 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Na Europa latina há pouca admiração pelo facto de um autor comercializar muitos livros. No Brasil, que é herdeiro cultural dessa parte da Europa, esse preconceito se repete. Portanto Paulo Coelho não é festejado nos salões literários elegantes do país sul-americano. No entanto, independentemente da tradição cultural, todo autor quer mesmo é comercializar bem a sua obra. Não duvido que o Paulo Coelho seja bastante invejado por seus pares. Quanto ao F. Morais, o gajo assina abaixos assinados conforme os ventos da moda. É um tipo oportunista e só.

 
At 5:15 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Excellent, love it! »

 

Enviar um comentário

<< Home