março 22, 2005

Os crimes.

As televisões e as rádios têm andado em regime de euforia perpétua. Há mais crimes para lá da Amadora, evidentemente, mas no domingo passado, às oito da manhã, a rádio encostava o presidente da Câmara da Amadora à parede; sim, como é que se justifica esta desordem nas ruas, esta insegurança nos bairros? Como é que a polícia, tão atacada na semana anterior por desacatos da sua espécie, é tão abandonada pelo poder e tem tanta falta de meios? E o governo, que não aparece? E o ministro, que não ministra? E os sindicatos, tão prestáveis? Eu sei que o caso dos dois agentes da polícia assassinados na madrugada de domingo é grave. Mas desde as oito da manhã de domingo já contei mais seis assassinatos. E esta ideia de que «a autoridade do Estado é posta em causa» pelo «crime da Amadora», é tão absurda como as indignações que se acumulam até não terem mais sentido nenhum.

2 Comments:

At 4:12 da manhã, Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info
» »

 
At 7:16 da tarde, Anonymous Anónimo said...

That's a great story. Waiting for more. »

 

Enviar um comentário

<< Home